quarta-feira, 9 de julho de 2014




Como é ser um aluno da Escola Europeia de Bruxelas.

Ser aluno de uma Escola Europeia é uma forma completamente diferente de estudar comparado com uma escola normal. Passar todos os dias num ambiente internacional, cercado por pessoas de dezenas de nacionalidades e de culturas diferentes ajuda-nos a perceber a diversidade que existe no mundo.
Eu estudo na Escola Europeia de Bruxelas desde dos 5 anos. Eu já estou habituado, mas vejo alunos novos todos os anos a terem dificuldades em adaptarem-se. Mas qual e a diferencia entre uma escola normal e uma escola Europeia? Em primeiro lugar, as escolas Europeias são enormes. Neste momento, a minha escola tem mais de 4000 alunos, e mais de 5 secções linguísticas, incluindo Espanhol, Alemão, Holandês, Inglês, Grego é varias outras. Há mais três escolas na Bélgica, e 14 no mundo inteiro, com um total de 24 000 alunos.
Em segundo lugar, há uma grande ênfase nas línguas. Aos 6 anos os alunos começam a estudar uma segunda língua, aos 12 aprendem uma terceira língua, é aos 13 são obrigados a estudar Historia e Geografia na segunda língua deles. No meu caso, estudo Francês como segunda língua, e Português como terceira.
Em último lugar, estar cercado por tantas culturas é uma experiência formidável. Desde dos 4 anos os alunos estão em contacto com Gregos, Espanhóis, Franceses, e mesmo os meus amigos têm todos a nacionalidade dupla. Eu estou na secção Inglesa e apesar disso só conheço uma pessoa 100% Britânica. Mas porque é que estar rodeado por tantas nacionalidades diferentes é coisa boa? Há varias razoes. A mais importante é que aprendemos a lidar com pessoas de nacionalidades diferentes que não falam a mesma língua que nós. Ajuda-nos a estar aberto a todas as culturas, e de as aceitar. Ainda por cima, estar numa escola Europeia ajuda-nos com as línguas. Eu percebo um bocado de quase todas os idiomas na minha escola, é conheço jovens de 8 anos que falam 5 línguas perfeitamente. Em cima disso, as escolas tem como objectivo de inspirar um sentimento nos jovens de serem Europeus para que eles possam continuar nos passos dos seus pais é servir a União Europeia quando serem adultos.
Eu pessoalmente acho que estudar na Escola Europeia de Bruxelas foi, é continua a ser, uma experiência única pela qual estou muito agradecido.

Daniel Johnson Maia, estagiário da H2.3